Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

banner_SEMARH_consulta_publica.png

« Junho 2018 »
Junho
SeTeQuQuSeSaDo
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930
Tag Cloud

WP Cumulus Flash tag cloud by Roy Tanck requires Flash Player 9 or better.

 
» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2015 Junho Governo do Estado reitera compromisso contra o trabalho infantil
16/06/2015 - 09h27m

Governo do Estado reitera compromisso contra o trabalho infantil

Data marca luta mundial de combate à exploração de crianças e jovens; Secretaria de Estado do Trabalho e Emprego reafirma parceria com Organização Internacional do Trabalho

Governo do Estado reitera compromisso contra o trabalho infantil

Agenda de trabalho será implantada para definir ações de combate ao trabalho infantil no estado, por meio da parceria entre Governo de Alagoas e OIT

Nesta sexta, 12 de junho, não é só Dia dos Namorados. A data marca também o Dia Mundial  de Combate ao Trabalho Infantil. Uma luta que vem sendo travada todos os dias e que ainda precisa de muito esforço do poder público.

A Secretaria de Estado do Trabalho e Emprego de Alagoas reitera a vigilância sobre o assunto por meio de ações comprometidas em combater o problema social, que ainda assombra Alagoas.

Uma destas iniciativas é a parceria que o Governo de Alagoas deve manter com a Organização Internacional do Trabalho (OIT). Ainda este ano, será assinado termo de cooperação para implantação de uma agenda de trabalho voltada para o tema no estado.

De acordo com o secretário de Estado do Trabalho e Emprego, Rafael Brito, essa ação mostra a responsabilidade do Governo de Alagoas em discutir o problema e desenvolver estratégias de combate ao trabalho infantil.

“A ideia é que depois que a agenda for implantada e ficarem definidas as ações que vamos implantar, a taxa de trabalho infantil seja reduzida a índice zero. Afinal, lugar de criança é na escola, aprendendo, brincando e sonhando”, declarou.

 OIT

A Convenção da OIT fixa 16 anos como a idade mínima recomendada para a entrada do jovem no mercado de trabalho, embora a ideia de trabalho infantil esteja associada ao trabalho desenvolvido por menores de18 anos.

A Organização classifica como piores formas de trabalho infantil o trabalho escravo ou semi escravo, o trabalho decorrente da venda e tráfico de menores, a escravidão por dívida, prostituição, pornografia de menores e qualquer trabalho que possa prejudicar a saúde, segurança ou moralidade do menor.

No Brasil, algumas das formas especialmente nocivas de trabalho infantil são o trabalho em canaviais, minas de carvão, funilarias, cutelarias, metalurgia e junto a fornos quentes.

 

Ações do documento
banner_lai+sic_LATERAL-A-PLONE3.jpg

banner_lai+sic_LATERAL-B-PLONE3.jpg

banner_GERAL_LATERAL_sic-plone3.jpg

Portal da Transparência

relatorio_emprego_renda.png

Banner observatorio.jpg

procon.jpg